Diferentes tipos de Yôga

Diferentes tipos de Yôga
setembro 18, 2017 yogaadventure

O Yôga é uma filosofia prática que visa o autoconhecimento. Essa filosofia teve origem na região que hoje recebe o nome de Índia. A arqueologia registra que essa filosofia teve origem a mais de 5.000 anos atrás.

A Índia foi um país muito invadido ao longo da sua história, e toda sua filosofia e crença foi influenciada sobre a cultura do povo que a submetia sob seu domínio, esse fato explica um pouco do porque existir tantos tipos de Yôga. São tantos que confunde um pouco a cabeça de um iniciante no Yôga.

Para ajudar um iniciante a escolher o melhor tipo de Yôga vou descrever um pouco sobre os métodos que mais marcaram a cronologia histórica do Yôga.

O Yôga se divide em duas fases: a Proto-Histórica e a Histórica. Na Proto-Histórica temos o período pré-clássico. No Histórico os períodos Clássico, Medieval e o Contemporâneo.

O Yôga Pré-Clássico recebe o nome apenas de Yôga, pois foi onde tudo começou. Seu Criador foi Shiva um homem que pertencia ao povo Drávida (antiga civilização da Índia), bailarino que criou essa filosofia sobre a influência do Sámkhya (filosofia teórica naturalista) e Tantra (filosofia comportamental matriarcal). Depois que Shiva partiu para outro plano, toda a estrutura do Yôga se dividiu dando origem a alguns ramos de Yôga: Ásana Yôga, Rája Yôga, Bhakti Yôga, Karma Yôga, Jñana Yôga, Laya Yôga, Mantra Yôga e Tantra Yôga.

Uma explicação lógica a esse fato foi que cada professor começou a ensinar e transmitir a técnica que mais gostava e dava importância, surgindo naturalmente um tipo de Yôga focado apenas em praticar um dos tipos de técnicas que comporta a filosofia do Yôga.

Passado um bom tempo, no século III a.C., surge o Yôga Clássico ou Ashtánga Yôga criado por Pátañjali, o Mestre do Yôga Clássico.

A prática do Ashtánga Yôga é constituída por Yama e Niyama (normas éticas do Yôga), ásana (posições físicas, firmes e confortáveis), pránáyáma ( técnicas respiratórias), prathyáhára (abstração dos sentidos), dhárana (concentração), dhyána ( meditação) e samádhi (hiperconsciência).

No século XI d.C. Gôrakshanatha, Mestre de Yôga no período Medieval, cria o Hatha Yôga.

O Hatha Yôga segue uma filosofia teórica Vêdánta (espiritualista) e filosofia comportamental Brahmáchárya (patriarcal e repressora). A prática do Hatha Yôga é formada por Yama, Niyama, ásana e pránáyáma.

No século XX, no período Medieval surgem diversos tipos de Yôga, sendo que os Mestres mais conceituados nesse período são Aurobindo e Rámakrishna.

Os diferentes de Yôga que surgiram nesse período tem influência direta sobre os Métodos mais antigos.

No século XXI se destaca o Swásthya Yôga, desenvolvido pelo Mestre DeRose, trata-se de uma codificação do Yôga Antigo.

O Yôga Adventure é influenciado diretamente do Yôga pré-clássico. Sua prática consiste em: yama e niyama, mudrá (gestos sensoriais e energéticos), pújá (mentalização e canalização energética), mantras ( sons e ultrassons), kriyá ( técnicas de limpeza dos órgãos internos), pránáyáma, ásana, yôganidrá (técnica de descontração) e todas as fases que desenvolve a meditação.

As maiores diferenças entre os métodos não são as técnicas em si, essas são as mesma desde a época de Shiva. As diferenças que contrastam um tipo de Yôga com o outro estão ligadas diretamente sobre a influencia das filosofias teóricas e comportamentais. Isso muda a indução da aula, a ordem, formatação ao aplicar as técnicas e a liberdade do aluno!

Como estamos falando de algo prático, a melhor forma de saber se você gosta ou se te faz bem é praticando.

Agende sua aula experimental e tire suas dúvidas vivenciando essa filosofia que atravessa o tempo e o espaço trazendo qualidade de vida a todos os adeptos.

Acredite, Yôga Transforma!

 

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*