DESAFIE SEU CORPO

DESAFIE SEU CORPO
setembro 13, 2017 yogaadventure
Uncategorized

 

 

ásana (pronuncie “ássana”) procedimento orgânico do Yôga

 

Quantas vezes você em uma prova, ou mesmo em seu treino sentiu seu corpo cansado, pesado, dolorido as vezes até incapaz de progredir.

Nesse momento, naturalmente sua atenção é colocada sobre o músculo fadigado, e surge o questionamento de que atitude tomar, desistir ou continuar?

Ao colocar a consciência sobre a parte do seu corpo solicitado, regular a respiração, criar um vinculo mental com indução positiva faz com que aquela sensação de dor e sofrimento passe, dando lugar para uma sensação distinta que lhe permite prosseguir.

A localização da consciência é um ato involuntário do organismo. É um pedido de atenção do seu corpo que muitas vezes não é tão fácil de fazer, pois uma mente cheia de dispersões se projeta do presente. Mas, quando ela está treinada basta fechar os olhos e a localização da consciência acontece de forma natural, chegará um momento, em que nem precisará mais fechar seus olhos e sua localização será espontânea.

Quando damos atenção a uma determinada região do corpo, concentramos o fluxo sanguíneo nessa parte, ou seja: aumenta a concentração sanguínea, aumenta a quantidade de células, de oxigênio  e nutrientes para o músculo, logo a recuperação é bem mais rápida.

Além desse fenômeno físico, há também o psico-orgânico, onde muitas vezes ocorre um conflito interno questionando se é possível continuar ou se ali é o fim! Esses pensamentos e sensações ocorrem por concentração de hormônios que estimulam o sistema nervoso simpático como acetilcolina e noradrenalina gerando sensações que horas o cativa outrora o enfraquece.

O questionamento existe a partir do momento que você renega a sua capacidade de proceder e perde o foco.

Esse conflito se cessa quando ignorado. Basta abstrair e deixar seu sentido em outra coisa, como em sua respiração ou vincular a alguma lembrança que lhe de prazer (uso do emocional). Percebendo a sensação de prazer e felicidade, cative-a deixe-a impregnar em seu corpo, assim sua mente vai interpretar que você está muito bem e logo aquele sentimento de fraqueza, dor e sofrimento vai passar.

ÁSANA

Para que o ásana atue com seu verdadeiro potencial, é preciso conscientizar que as técnicas orgânicas do Yôga são bem diferentes de exercícios físicos.

Apesar das técnicas exigirem tônus e esforço dos músculos, os ásanas tem um parâmetro mais profundo.

Ele atua no campo energético, desobstruindo os canais por onde a energia orgânica percorre através de uma compressão feita nos músculos. Com isso a energia que se encontra muitas vezes bloqueada, passa a fluir melhor no organismo e aumenta a vitalidade.

Para experimentar esse fenômeno basta desvincular o conceito de força e desgaste físico causado por exercícios repetitivos.

Enquanto exercícios cansam, ásanas energizam.

Colocados em forma de treinamento, ao invés de repetir os  ásanas como se faz em exercícios físicos, uso no YA a permanência no ponto crítico, o que desperta os mesmos pensamentos quando se alcança o extremo esforço em sua prova/treino.  Logo, pode-se treinar a localização da consciência,  indução positiva ou o simples adestramento das emoções aumentando a capacidade de treinar o cansaço, a dor, a baixa energia e toda sensação.

Aproveito aqui para citar uma frase do triatleta Craig Alexander : “Quanto mais dor você sente, mais percebe que pode controla-la”. Nessa frase ele menciona a dor, eu uso essa interpretação  para toda e qualquer sensação.

O YA leva a uma ampla consciência corporal e o praticante passa a perceber seu corpo cada vez melhor, aprende a reconhecer seus limites e principalmente saber a hora em que deve parar para não excedê-los (evitando aqui qualquer tipo de lesão) e também o momento que pode recrutar alto desempenho afim de ampliar esse limite.

Os ásanas tornam os músculos muito bem condicionados a reagir sobre qualquer situação, até  mesmo alguma inesperada sem haver necessidade de aquecimento prévio, pois a performance conquistada pelo praticante incorpora-se em sua estrutura física.

Esse acontecimento advém dos estímulos e efeitos que os ásanas procriam no organismo.  Os efeitos começam ser processados nas áreas mais profundas e afloram até o corpo. Atuam inicialmente no sistema nervoso e endócrino. Depois nos órgãos internos e por último os benefícios chegam aos músculos e articulações.

“Se os músculos e articulações são as partes menos trabalhadas no Yôga e, apesar disso, adquirimos uma performance muscular e articular excepcional, imagine os efeitos obtidos nas áreas mais profundas!”

 

Claudia Faria

Fundadora  do Yôga Adventure

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*